terça-feira, 5 de setembro de 2017

Estroboscópicos

2017 está sendo um ano de muito aprendizado. O que com certeza é algo muito bom, mas não necessariamente agradável. Tive muitas surpresas boas sim, muitas coisas boas aconteceram também, mas, se eu pudesse definir o ano (até agora) em uma palavra, seria agridoce. Muitas coisas que aconteceram e ainda acontecem e acabam deixando a gente meio doído, com medo do que o amanhã reserva. O amanhã tem sido bem ambíguo, eu diria, vezes ele é maravilhoso, vezes joga um balde de água fria.
Muita coisa me desgasta e eu nem sei como explicar, mas parece que coisas antes tão prazerosas se tornaram pesadas, lugares que me acolhiam agora me encolhem, mas eu não me sinto no direito de reclamar, pois sei que minha situação não é a pior.
Além de agridoce, 2017 vem sendo esmagador. Talvez um pouco sufocante, com alguns (muitos também, certamente) momentos de respiração estabilizada.
Alguns anos atrás, acho que quase 2, eu escrevi sobre o Maat e o quanto só se conhece a luz quando se vê a escuridão. Não, meu ano não foi só escuridão, mas é um ano intenso de acontecimentos e sentimentos estroboscópicos.
Obrigada até agora pela oportunidade de passar por isso e me tornar mais forte, mesmo que apenas um pouco, espero que todos nós passemos bem esse último período.

E que seja doce.


sexta-feira, 21 de julho de 2017

As músicas da minha vida


Acho que já falei isso aqui, mas eu gosto muito de música.
Acho que todo mundo gosta né? Acredito que sim, mas eu gosto muito. Tenho minha queda livre por rock, mas sendo boa (no meu ponto de vista pelo menos) eu to ouvindo. Por ser meio que eclética, são poucas as bandas ou artistas que eu realmente acompanho, sei da vida, curto foto, leio entrevista... essas coisas que fã faz, uma dessas bandas é a Linkin Park, um desses caras é o Chester Bennington. To dizendo é mesmo depois do que aconteceu ontem porque eu não quero falar como se ele ter ido embora apagasse tudo que o que eles cantavam foi pra mim, pode ser bobagem, mas me faz sentir um pouco mais feliz.
O fato é que Linkin Park esteve aqui comigo desde muito tempo. Foi a banda que me fez gostar de rock, que me fez bater cabeça, e foi por um acaso, um acaso que me fez muito bem. Foi ao som de Linkin Park que eu comecei a gostar seriamente de alguém, levei meu primeiro pé na bunda, briguei com meus amigos, fiquei de bem com eles, viajei com a escola, "traduzi" minha primeira música sozinha (obrigada, Robs), recebi um convite pra participar de uma banda e obviamente recusei (desculpa JC, eu canto muito mal), superei muitas bads, e na verdade supero até hoje, LP sempre esteve aqui presente na minha vida, e espero que sempre vá estar. Além das músicas serem minha trilha sonora, eles muitas vezes quase sempre tocavam tudo que eu sentia, queria e/ou precisava ouvir. Só não consegui ir pra um show de vocês, essa fica pra outra era.
Eu sei que ele não é meu amigo pessoal nem nada, mas eu sentia como se fosse.
Eu sei que a banda não é só o Chester, mas ele é o rosto, e é a voz da banda também. E que voz, como cantava bem... .Acompanhando essa voz, a gente descobria também a pessoa, o quanto ele parecia ser gentil, seus erros, seus acertos, seus muitos cabelos, e também suas muitas fragilidades, uma pessoa que, ao meu ver, merecia minha admiração, e não só como cantor. E ontem, quando eu descobri o que houve, confesso que eu chorei, disfarcei mas chorei, procurei pela internet um comunicado dizendo que era uma notícia falsa, algo do gênero, mas não era né, fazer o que, não era... mas eu gostaria que fosse.
O jeito que ele morreu merece toda uma atenção especial, depressão é uma coisa muito séria, mas não é disso que eu vim falar aqui. Eu vim agradecer, mesmo que isso não chegue nem a ele nem a quem é próximo dele , e vim desabafar também.
Obrigada.
Obrigada por ter cantado até aqui as músicas da minha vida. Obrigada por cantar as coisas que eu pensava, que eu sentia, e que eu precisava ouvir pra aprender, e com certeza ainda preciso e precisarei. Obrigada por ter resistido por 41 anos, eu sinto muito que você não tenha conseguido resistir mais, muito mesmo, mas obrigada por ter vindo até aqui.

R.I.P Chester Bennington

terça-feira, 25 de abril de 2017

Você

gibson les paul wallpaper3 1


Você é meu paradoxo.
Muitas vezes você tá sempre aqui, presente.
você é, ao mesmo tempo, calor e calmaria
tempestade e ventania.

Você é mar,
seus olhos já vieram me mostrar,
desde sempre.
tão verdes quanto (a)mar.

Você é vento
hora brisa, hora furacão,
muitas vezes me refresca
algumas outras me tira do chão.

Você é palavra,
é mais que verso, que rima, mais que emoção,
Você é tudo que é lindo
você é inspiração.

Você é música,
das boas, das impactantes,
ninguém sai ileso ao te ouvir,
você é o lugar que eu não quero sair.

Você é coração, é emoção,
cabeça, razão...
Nem sempre complexo,
eternamente paradoxo,

Você é tudo aquilo que ninguém mais consegue ser
e você nem percebe.
Como você consegue?
Você é você, inquietude, inquietante
é desconcertante, é reconfortante
e mais nada poderia ser tão mágico.
e tão louco impactante




domingo, 23 de abril de 2017


Nunca reclamarei dos que eu tenho à minha volta, já que sem eles eu nada seria. Porém, em alguns momentos, por mais que eu esteja rodeada de gente, parece que eu sou tão só...

sexta-feira, 24 de março de 2017

Verborragia noturna

Às vezes você nem sente vontade,
mas a vida não tem explicação
Escrever é uma necessidade,
quando se sente, não existe opção.
A palavra é incansável
e não vai parar até você obedecer
queria rimar com inabalável
mas só me resta escrever
boa noite, que a palavra esteja com você.


sábado, 4 de fevereiro de 2017

(F)mim


Não fui eu que escolhi ser assim, 
Simplesmente aconteceu
Quando eu notei e me dei por mim 
Eu já era ela, ela já era eu.
Não que seja uma troca justa ou igual
Nem sempre é tão aparente assim a ligação 
Mas, se prestar atenção aos detalhes
Não tem tanta diferença nem tem separação.
Alguns dias somos mais, outros somos menos
Só que no fim das contas não tem jeito
É meio aquela coisa de filme 
O elo já foi feito,
Não tem escapatória
Não tem pra onde correr
E eu também não gostaria de outra história 
Não provaria de outras memórias
Porque não tem como mesmo 
Alma de poeta não tem outro caminho
Não importa a simplicidade 
Menos ainda complicação
Alma de poeta é coração
A Poesia é meu começo, meio e mim
Tão simples quanto esse final:
Fim

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Bêbada


Dizem por aí que "bêbado fala a verdade", pois bem, até que ponto isso é real?
Tenho andado meio bêbada. Não me entenda mal, não é sempre, nem todo dia, mas acontece, e aí as situações me parecem meio diferentes, o ponto de vista muda. Não é sempre que eu bebo tanto assim meus sentimentos, e me afogo em mim. Até que ponto sentimentos e emoções distorcem a realidade?