sábado, 4 de fevereiro de 2017

(F)mim


Não fui eu que escolhi ser assim, 
Simplesmente aconteceu
Quando eu notei e me dei por mim 
Eu já era ela, ela já era eu.
Não que seja uma troca justa ou igual
Nem sempre é tão aparente assim a ligação 
Mas, se prestar atenção aos detalhes
Não tem tanta diferença nem tem separação.
Alguns dias somos mais, outros somos menos
Só que no fim das contas não tem jeito
É meio aquela coisa de filme 
O elo já foi feito,
Não tem escapatória
Não tem pra onde correr
E eu também não gostaria de outra história 
Não provaria de outras memórias
Porque não tem como mesmo 
Alma de poeta não tem outro caminho
Não importa a simplicidade 
Menos ainda complicação
Alma de poeta é coração
A Poesia é meu começo, meio e mim
Tão simples quanto esse final:
Fim

2 comentários:

Gugu Keller disse...

A poesia é o exprimível sonho doce do que, se dizível fosse, se diria.
GK

Bípede Implume disse...

Olá Vivian
Que belo encontro com a poesia, quero eu dizer, com você.
Depois desta paragem, para mim, está sendo difícil recomeçar mas estou fazendo o possível para estar mais presente.
Criei outras rotinas que me afastaram um pouco agora é tentar acertar.
Um bom incentivo é voltar a este blog.
Até breve e beijinho de amizade.